(Chile) Felipe Durán – preso por denunciar violência contra mapuches

FELIPE DURÁN, FOTÓGRAFO CHILENO ESTÁ PRESO HÁ MAIS DE 200 DIAS POR USAR SUA CÂMERA PARA DENUNCIAR AS VIOLÊNCIAS CONTRA COMUNIDADES MAPUCHES NO SUL DO CHILE

Publicado originalmente no Mídia Coletiva

Felipe Durán é um fotógrafo nascido na comuna de Cañete, cidade situada na província de Arauco, Região de Bío-Bío, sul do Chile – Felipe retratou distintos processos da nação mapuche no últimos anos. Marchas, ocupações de terras, repressões, organização de eventos, cerimônias, e fotografou como poucos os verdadeiros impactos do conflito que se vive na região.

Felipe foi detido em companhia de um comunero chamado Cristian Levinao, que se encontrava em clandestinidade despois de ter sido julgado na lei antiterrorismo que criminaliza diretamente Mapuches que estão tomando terras ancestrais das mãos dos latifundiários de Araucanía, principalmente. A polícia alega ter encontrado armas e explosivos em posse deles. Fato que sabemos consta de uma série de ‘montagens’ – flagrantes forjados pelos carabineiros – para criminalizar os que lutam pela autonomía dos movimentos mapuches no sul do Chile.

Felipe segue em prisão preventiva no Centro de Cumprimento Penitenciário da cidade de Temuco. No dia 23 será realizada uma marcha plurinacional da Rede de Defesa pelas Águas e Territórios, e está coordenada por diversas comunidades mapuches e não-mapuches, que dentre outras ações vai fazer um ato na porta do presídio onde Felipe e outros presos se encontram. Leia mais no MapuExpress e acompanhe as transmissões em cadeia de rádios livres que serão realizadas pela comissão de cobertura da marcha e diversos meios independentes.

duran2

Leia esse post do MapuExpress sobre sua prisão e veja algumas fotos de Felipe Durán aqui.

COLETIVOS DE MÍDIA INDEPENDENTE LATINOS ASSINARAM UM MANIFESTO EM APOIO A NAÇÃO MAPUCHE E REPUDIANDO A PRISÃO PREVENTIVA DE FELIPE DURÁN

Nós, comunicadores populares de meios independentes declaramos nossa solidariedade ao fotógrafo chileno Felipe Durán, preso preventivamente no presídio de Temuco por mais de 200 dias, e reafirmamos nosso respeito as comunidades mapuches que resistem ao avanço da criminalização de sua cultura e organização comunitária no território de Wallmapu.

Felipe foi preso por carabineiros em Temuco no dia 22 de setembro de 2015, devido sua colaboração e compromisso política com a luta das comunidades mapuches que estão em risco. Sua câmera esteve a serviço da denúncia das violações de direitos humanos que sofrem os mapuches no sul do Chile, e por isso se converteu ele mesmo em alvo da repressão dos governos.

O governo chileno é funcional e obedece aos interesses das empresas transnacionais na região, e por isso é responsável direto pelos crimes que estão violando os direitos das comunidades indígenas.

11885758_10206428744771125_2944296986554921082_o

Assim como Felipe, diversos mapuches estão sendo processados pela justiça chilena em um contexto de montagens (flagrantes forjados), que vem realizando o governo contra os indígenas na região. Diversas machis, que são as curandeiras mapuches, também estão presas e processadas com provas falsas da polícia. Outros sofreram atentados contra suas vidas, com o objetivo de silenciar as lideranças que resistem contra as empresas que exploraram eucalipto e celulose, e que contratam empresas para-militares para realizar sua segurança privada, ameaçando e atentando contra a vida dos habitantes das comunidades.

Repudiamos o terrorismo do Estado contra o povo mapuche e somamos nossos meios independentes para desmoralizar o governo chileno e denunciar suas práticas racistas frente aos povos originários.

Pela liberdade de todos os presos políticos MAPUCHES e do fotógrafo FELIPE DURAN, assinamos essa carta:

1 – Coletivo Projetação – Rio de Janeiro, Brasil

2 – MidiaColetiva.Org – Rio de Janeiro, Brasil

3 – Rio 40 Caos – Rio de Janeiro, Brasil

4 – Coletivo Papo Reto – Rio de Janeiro, Brasil

5 – Coletivo Nigéria – Fortaleza, Brasil

6 – Sérgio Silva – São Paulo, Fotógrafo brasileiro

7 – Adriano Belisário – Rio de Janeiro, Comunicador brasileiro

8 – Revista Tarja Preta – Rio de Janeiro, Brasil

9 – Advogados Ativistas – São Paulo, Brasil

10 – Fábio Nascimento – São Paulo, Fotógrafo brasileiro

11 – El Tambo – América Latina

12 – Tomate Colectivo – Lima, Perú

13 – El Maizal – Quito, Ecuador

14 – DocuPerú – Lima, Perú

15 – Cooperativa de comunicación La Brújula – Rosario, Argentina

16 – Boletín EnREDando- Rosario, Argentina

17 – Apacheta Fotos – Rosario, Argentina

18 – Colectivo Manifiesto – Córdoba, Argentina

19 – El Grito de Sunset Park – Brooklyn, NY – USA

20 – Instituto Políticas Alternativas Cone Sul (PACS) – Rio de Janeiro, Brasil

21 – Fórum de Juventudes do Rio de Janeiro, Brasil

22 – Fórum de Manguinhos – Rio de Janeiro, Brasil

23 – Proyecto “Legitimación del terror: crónicas del gatillo fácil en Rosario” – Rosario, Argentina.

24 – Programa radial “Radiochanguit@s” – Rosario, Argentina.

25 – Observadores Legais – São Paulo, Brasil

26 – Centro de Mídia Independente (CMI) – Rio de Janeiro, Brasil

27 – Movimento Passe Livre – Niterói, Brasil

28 – Ocupa IEPIC – Rio de Janeiro, Brasil

29 – Estudantes Secundaristas em Luta – Rio de Janeiro, Brasil

30 – Programa radial “Contra la pared” – Rosario, Argentina.

31 – Priscila Prisco, Advogada – Rio de Janeiro, Brasil

32 – Ocupa Golfe – Rio de Janeiro, Brasil

33 – Coletivo Mariachi – Rio de Janeiro, Brasil

34 – Agencia de Noticias Medio a Medio – Santiago, Chile

35 – Laboratorio Popular de Medios Libres –  México

36 – La Sandía DIgital – México

37 – Tequio Audiovisual – México

38 – Cine en Movimiento – Argentina

39 – El Puelche – Wallmapu

40 – Conce Te Ve – Concepción, Chile

41 – La Trutruka Libre Expresión, Visión y Voz desde Wallmapu – Wallmapu

42 – Red comunicación mapuche, ngulumapu, Chile

43 – Mapuexpress, Wallmapu

44 – Chega de Descaso – Rio de Janeiro, Brasil

45 – Partido Pirata Rio de Janeiro, Bras

46 – Anonymous Rio de Janeiro, Brasil

47 – O Grito Filmes – Rio de Janeiro, Brasil

48 – Rede de Informações Anarquistas – Brasil

49 – Radio popular Che Guevara – Rosario, Argentina

50 – Aire Libre Radio comunitaria – Rosario, Argentina

51 – Antena Negra TV – Buenos Aires, Argentina

52 – Radio Juan Gómez Millas, Chile

53 – Radio Newén – Peñalolén, Chile

54 – Programa Kontrababylon – Peñalolén, Chile

55 – Radio la Voz de Paine – Paine, Chile

56 – Periódico Mapuche Werkén –  Wallmapu

57 – Radio Mapuche Kimche Mapu – Lanco, Chile

58 – Lofche Wiño Leufv – Comunidad Mapuche de Rosario, PuelMapu

Para compreender o conflito mapuche pelas palavras do editor do MapuExpress:

This entry was posted in Comunicado and tagged , , . Bookmark the permalink.