MTST: O povo sem medo de bater em anarquistas – Fortaleza 13.12.16

Ontem, 13 de Dezembro de 2016, foram relatadas inúmeras agressões em uma manifestação contra a PEC55/241 em Fortaleza – CE e estaremos disponibilizando na INTEGRA relatos e fotos para que todas e todos saibam o acontecido com militantes anarquistas e libertários.

Nós da Rede de Informações Anarquistas nos solidarizamos com essas pessoas e não nos silenciaremos frente a tudo isso, pois quando uma ou um de nós é agredid@, TODOS NÓS TAMBÉM SOMOS!

Abaixo segue os relatos das agressões na integra:

1- RELATO DE UM ANARQUISTA AGREDIDO, link: http://bit.ly/2hmwll4

MTST, o “Povo Sem Medo” de bater em anarquista (e de ameaçar mulher de estupro, e de espancar adolescente até desmaiar)

Os relatos que chegam são inúmeros. Eu tou bem detonado, como podem ver nas fotos, mas fui um dos que menos apanhou. Um compa teve a cabeça aberta com uma barra de ferro, outro, secundarista, menor de idade, levou porrada nas costas e chegou ao hospital desmaiado. Mulheres foram agredidas e ameaçadas de estupro.

Mas comecemos do começo: o bloco autonomista se concentrava na mesma praça que o restante do ato, e pelas duas horas da concentração estávamos lá, ninguém chegou para conversar conosco, saber se tínhamos algo planejado, ação direta, etc.

Como sempre, nós autonomistas não nos damos com carro de som, palanque ou carnavalização dos atos, então fomos avançando à massa de gente até chegar no lugar que melhor nos cabe: a linha de frente. Lá podemos barrar o avanço policial, lá podemos realizar ação direta sem interferir no andamento da manifestação, lá não incomodamos ninguém e todo o mundo segue o roteiro que lhe convém. É uma situação de ganho mútuo. Nossas armas para ontem? Tinta para pintar o asfalto, lambes e cola para pregar nos muros. No máximo um jet aqui e outro aculá – inclusive outros movimentos também estavam com materiais do tipo.

Até que, assim que chegamos à frente, direções do MTST vêm reclamar que nós deveríamos estar na traseira do ato por algum motivo que não se dignaram a tentar explicar, e começam as agressões verbais.

E então a mensagem no carro de som: “aqui é fora temer, quem não quiser fora temer que saia daqui!” “comissão de segurança, venha pra frente do ato!”

E começa o circo de horrores. Como uma turba ensandecida, militantes do MTST começam a avançar em cima do bloco autonomista, nos batendo com socos, chutes e mastros de bandeira. Não satisfeitos em nos expulsar do ato, começaram a nos caçar na rua lateral para a qual escapamos. Me jogaram ao chão e continuaram a me agredir, mesmo caído. Como resultado, me roubaram um par de óculos escuros, minha perna esquerda está contundida a ponto de quase não conseguir caminhar e tenho marcas da agressão por todo o corpo. Eu desafio, com a maior tranquilidade na consciência, alguém provar que antes desse momento o famigerado pé de cabra tenha aparecido. Não vai acontecer porque até me derrubarem e me agredirem ele não estava à vista, tampouco à mão de alguém do bloc, ou do MTST. Repito: desafio qualquer pessoa a provar que ele apareceu antes desse momento.

Não é a primeira vez que sou agredido pelo MTST por cobrir meu rosto em um ato, e não é de longe a primeira vez que esse grupo político agride militantes autonomistas/anarquistas/de rosto tampado por qualquer motivo que seja. Há relatos de diversos locais do país: Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, e provavelmente outros. Portanto, estou revoltado, estou extremamente indignado, mas não estou nem um pouco surpreso.

É inadmissível que este grupo tenha ações IRRESPONSÁVEIS, COVARDES E FASCISTAS perante compas que somam na luta à sua própria maneira. É inaceitável que um grupo queira dizer precisamente como todo o ato, milhares de pessoas, devem se portar. É absurdo a ideia que, em uma época que se faz tão necessário o protagonismo do povo, tomem atitudes dirigistas, determinando quem pode ficar em que lugar da rua.

Não venham mais me falar em unidade de ação. Vocês são tão inimigos do povo quanto a mais fascista polícia militar do país. Apenas estão travestidos de movimento popular, se fingindo de esquerda.

Não nos calaremos, não nos curvaremos ao autoritarismo, seja de que lado do espectro político ele vier. A gente sobrevive a calúnia desde a I Internacional, a gente sobrevive a assassinato perpretado por socialista desde que Trotsky e Lênin mandaram dizimar o exército negro de Makhno. Não vai ser um bando de jagunços de um movimento que acha mais razoável gastar tempo orientando a galera a bater em anarquista que formando politicamente essas pessoas que vai nos calar. Resistimos e sobrevivemos.

P.S.: Não vou citar nomes aqui, porque, ao contrário de mim, as organizações pelegas adoram apelar pra justiça burguesa e eu já tenho processo o suficiente nas costas. Mas deixo meu agradecimento especial à UNE/Kizomba por ter incitado a agressão contra os autonomistas através do carro de som. Vocês não serão esquecidos. Deixo menções honrosas também às organizações que compõem a Frente Povo Sem Medo por verem toda a merda acontecendo e criarem um cordão de isolamento para que não pudéssemos nos refugiar dentro do ato, nos obrigando a apanhar sem defesa, enquanto dezenas de milhares de pessoas assistiam. Novamente, isso já aconteceu antes.

95cdc74616d04b5509940

Foto de 13 Dezembro 2016 , Fortaleza -CE

********************************************************************************

2- RELATO DE UM MILITANTE QUE TELE A CABEÇA ABERTA, link: http://bit.ly/2h0VKhd

“O mundo dos ismos, quer englobe a humanidade inteira ou uma única pessoa, não passa nunca de um mundo esvaziado da sua realidade, uma sedução da mentira, terrivelmente real. O triplo esmagamento da Comuna, do movimento Spartakista e de Kronstadt (1921) mostrou de uma vez por todas a que banho de sangue levavam três ideologias da liberdade: o liberalismo, o socialismo e o bolchevismo.”

Raoul Vaneigen – A arte de viver para as novas gerações

Sofri minha primeira agressão grave em uma manifestação: diversos roxos no corpo, acordei com dificuldade de mover o ombro, galos na cabeça de pauladas e um golpe de PÉ DE CABRA na cabeça que me renderam um rombo na cabeça, uma tomografia e diversos pontos. Sempre imaginei que aqui estaria denunciando a polícia e o estado, os verdadeiros inimigos do povo. Mas não, o show de horrores foi executado por militantes do MTST e de partidos da “Frente Povo Sem Medo”. Dia 13 ocorreu a manifestção, convocada pela mesma frente, contra a PEC e a reforma da previdência. Um chamado para um “bloco independente de partidos e sindicatos” foi feito. Compareci ao bloco. Saímos todos da praça da Gentilândia. Na manifestação higiêniga e limpinha, carros de som estridentes que calavam as vozes de todxs. No bloco independente todxs colocaram camisas nos rostos e a maioria portava trinchas e garrafas pet com tinta branca e cola: não queriam microfones, queriam escrever no asfalto frases como “poder para o povo”, “lute sem líderes”, “contra a pec” e simbolos do anarquismo. A cola era para lambes. O por que de esconder o rosto? óbvio, para evitar exposição, para evitar ser filmado pintando uma frase no asfalto. Nada demais. Muitas palavras de oderm: ” lutar, criar, poder popular”, “Poder para o povo, o poder do povo vai fazer um mundo novo”. Onde passava o bonde as pessoas se empolgavam e gritavam juntxs. Perto dos carros de som, só se animava a torcida organizada e os dirigentes falantes, o povo ficava apático caminhando, como um sacrifício em uma procissão. Alguém disse : o som ta muito alto, vamos para frente do som, assim as pessoas ouvem nossa mensagem. Logo a frente, outro carro de som altíssimo. Palavras de oderm e de novo passamos à frente. Eram TRES carros de som altíssimos, para garantir o silenciamento das vozes dissonantes. ” vamos para a frente da manifestação, os sons apontam pra trás e as pessoas vão nos ouvir”. Fomos para lah. Rapidamente começaram a chegar diversos militantes do MTST, tenho alguns vídeos que fiz pra me proteger. Começam a hostilizar aos gritos de “o ato é nosso”. No carro de som militantes petitas e psolistas gritam ” esse ato é para quem apoia o fora temer, se retirem os outros.”. Militantes fardados de vermelho começam a gritar com todxs e empurrar. Incrível, pessoas fazendo frases no chão e os dirigentes, certamente para criminalizar e justificar o que estava por vir falam “quem quer fazer ação direta vá na frente e se isole da manifestação”!! Mais discussões, os autônomos insistiram diversas vezes que estavam de boa. Intervi nessa hora, gritei pra todxs não responderem à aberta tentativa de conflito. Puxei muitos e fomos uns 10 passos à frente. Iginoramos a polícia socialista e voltamos a escrever frases. Ainda deve estar lah o último a na bola feito por um colega. Quando observo, os dirigentes tinham parado a manifestação (de forma orquestrada?), uns 100 metros atrás. Volto pra manifestação pra perguntar o que ocorre. Sou ameaçado por alguém do MTST, digo que todxs soh fazem frazes. Quando olho em direção aos meus colegas, meu coração dispara. A 100 metros, uns 50 socialistas fardados dando pauladas, um linchamento. Não dava pra ver o “meio” pois eram muitos, só conseguia ver os paus e ferro sobindo e descendo em alta velocidade. Era isso, um monte de secundaristas, professores e autônomos munidos de trinchas e garrafas de tinta levando pauladas e ferradas. O carro de som? os partidarios? ficaram calados, militantes do rua, psol e quizomba fizeram um cordão de isolamento para nenhum manifestante intevir e garantir a tentativa de homicídio. NADA FOI DITO NO CARRO DE SOM!!! Fingiram que nada ocorria! Nessa hora, a cabeça a mil, corri em diração a confusão, tirei o celular do bolso, pensei ” essa nao é hora de filmar”, guardei. Antes de eu chegar os autônomos se livraram e correram, dobrando a esquina. Pensei, “ainda bem, fugiram” O que fizeram os fascistas socialistas? pararam? não, foram CAÇAR os que correram. Isso mesmo, não basta expulsar e espancar, tem que trucidar de tal maneira que nunca mais pisem aqui. Corri pra ver o que ocorre, dobrei a esquina. Inacreditável, vejo que 3 não conseguiram escapar. A uns 300 metros, no meio do quarteirão, a cena era pior. 3 marmanjos chutando uma mulher no chão. Um dente quebrado e ameaças de estupro (relato da mesma). Olho pra trás pra gritar por ajuda e pasmem: outro cordão de isolamento. Com muito medo corro em direção aos espancamentos. Liberam a menina que corre. O 3 se juntam a um grupo com 15, isso mesmo, quinze militantes de MTST e outros partidos chutando um colega que estava em posição fetal no chão. CENAS QUE NUNCA VI NEM DA PM EM JUNHO DE 2013!! Corri para impedir a cena. Cheguei no meio, empurrei todxs e gritei “PARA! JA BASTA!”. Todxs olham meio que sem entender. 3 segundos de silêncio que pareceram horas. De repente, pela minha frente vem um com uma madeira, um pedaço de compensado para tacar na minha cabeça, coloco o braço, a maderia quebra no meu braço. Grito “QUE MERDA É ESSA??!”. Um chute na barriga, um murro nas costas. Tento falar, uma paulada nas costas, outras nas costelas, uma no ombro. Penso em correr, vejo meu colega no chão em posição fetal, vontade de chorar. Duas pauladas na cabeça, antes de levar a mão pra proteger o rosto um golpe com um PE DE CABRA que abre um rombo na cabeça, sangue, todos riem e saem correndo. “Não voltem mais aqui”. INCRIVELMENTE os assassinos são recebidos ee protegidos pelos militantes e dirigentes partidários depois de um cena dessas! O cordão de isolamento se abre para eles se misturarem e se protegerem. 10 minutos depois chegam os poderosos, os candidatos a vereador, as patentes mais altas do exército socialista. ” esta tudo bem? “. ” que absurdo, sou contra isso”. Todos tentam voltar para a manifestação, os partidários não deixam, dizerm que vai ter ” mais confusão”. Não abrem o cordão. Olho mais a frente, um colega quanse desmaiando, levou um golpe com pé de cabra nas costas, caiu no chão e de lá não conseguiu levantar. Queriamos ir para o IJF, e os dirigentes não queriam deixar, para evitar mais ” confusão”. Comecei a sentir ansia de vômito, me puxaram para o hospital. Sou professor de física da Universidade Federal do Ceará. Sei muito bem o local que ocupo no espetáculo e na ideologia dominante. Por isso tenho coragem de denunciar. E aqueles secudaristas? e os outros autônomos, que tem medo de denunciar essa atrocidade e serem perseguidos e linchados sem qualquer apoio? quantos mais não estão com braços, cabeças e corações quebrados? NEM A POLÍCIA DO ESTADO USA CACETETES DE AÇO, ELES ESTAVAM COM PÉS DE CABRA, E CONTRA SECUDARISTAS E PROFESSORES! É preciso que as pessoas entendam que esse tipo de ação NÃO É UM ACIDENTE. Em todo o Brasil os socialistas estão espacando quem não se submete às suas ordens. Sei de notícias do Rio, Sao Paulo e Brasília. É uma determinação nacional eliminar quem critica os partidos. É preciso que as pessoas entendam que o discuros de militantes que querem o estado é muito belo e cheio de direitos humanos, mas na verdade a prática e suja, violenta e que eles estão dispostos a tudo para por em prática sua ideologia da salvação. Pense bem antes de legitimar, de ir para manifestações, de votar nessas pessoas. GOSTARIA DE LEMBRAR UM FATO IMPORTANTE: Em junho de 2013 a configuração de forças era outra, as classes perigosas, os autônomos e anticapitalistas eram MAIORIA ABSOLUTA NAS RUAS. Multidões de mascarados. Houveram barricadas, pedras, bancos quebrados, carros queimados. Dezenas de milhares de pessoas. O máximo que se fazia com os partidários era abaixar suas banderias! NUNCA HOUVE QUALQUER RELATO DE AGRESSÃO A UM SER HUMANO. O motivo é claro: para os libertários, anarquistas, situacionistas e etc, a VIDA ESTÁ A CIMA DO DESEJO DE PODER. Na verdade é o oposto, não queremos poder! O que fazer?? essa foi uma ação criminoza, não foi uma ação política! Muitas filmagens, muitas testemunhas, muitos falam em fazer boletins de ocorrência e tentar punir a todos os envolvidos: ISSO É TENTATIVA DE HOMICÍDIO! Não sei o que fazer, não quero usar o aparelho repressor do estado. A opção é abandonar a luta? O derramamento de sangue a que estão disposto os socialistas pelo poder está demonstrado pela história. O fascismo da direita bate de um lado, enquano o fascismo da esquerda bate do outro, devidamente legitimado por uma propaganda e discursos bem montados. Eu luto contra ambos. O que você vai fazer sobre isso?

“O mundo dos ismos, quer englobe a humanidade inteira ou uma única pessoa, não passa nunca de um mundo esvaziado da sua realidade, uma sedução da mentira, terrivelmente real. O triplo esmagamento da Comuna, do movimento Spartakista e de Kronstadt (1921) mostrou de uma vez por todas a que banho de sangue levavam três ideologias da liberdade: o liberalismo, o socialismo e o bolchevismo.”

“É verdade que a brutalidade policial ainda é grande, e como! Onde quer que ela apareça, as boas almas da esquerda prontamente a condenam. E depois? …eles organizam manifestações pacíficas; a sua polícia sindical trata como provocador a quem quer que resista às sus palavras de ordem. É essa a nova polícia, esperando sua vez de assumir o plantão.”
Raoul Vaneigen – A arte de viver para as novas gerações

15578399_2174436076114380_7765194609931227429_n

Foto de 13 Dezembro de 2016, Fortaleza – CE

*******************************************************************************

3- RELATO DE AMEAÇA DE ESTUPRO, link: http://bit.ly/2gJTU86

“NOTA DE REPÚDIO AO MTST E AOS ORGANIZADORES DO ATO FORA TEMER DE HOJE DIA 13/12

Hoje eu fui agredida por integrantes do #MTST_CE me bateram com pedaços de madeira e me ameaçaram de estupro e tudo isso por eu ta fazendo ação direta cade a união que vocês tanto pregam?e o pé de cabra que usaram pra bater em um guri que tava fazendo ação direta? E as pessoas que foram parar no hospital por culpa de vocês bando de pelego do krl pra que pm se tem #MTST_CE ? Vocês podem ate excluir o evento no face na intenção de calar todos aqueles que soltaram suas notas de repúdio mas aqui vocês não vão me calar #MTST_CE e #UNE que incentivou a violência pelo carro de som.”

15578691_246468222448788_3509614024353709889_n

Foto de 13 Dezembro de 2016, Fortaleza-CE

********************************************************************************

4- PALAVRAS DE ORDEM E AMEAÇAS DURANTE DE AGRESSÕES, link: http://bit.ly/2gJIktK

“NOTA DE REPUDIO::

Hj no ato contra a PEC, integrantes do MTST agrediram e expulsaram manifestantes anarquista e secundaristas, alem de violentamente machucarem a cabeça de um professor da UFC com uma barra de ferro. Agrediram inclusive mulheres que ali se faziam presente (falaram até em estrupo, acreditem! ). a “comissão de segurança” do MTST sentiu-se ameaçada por manifestantes que colocaram suas bandeiras na frente do movimento. Eles agiram com toda agressividade, e ja portavam armas brancas, barras de ferro e acreditem até um PÉ DE CABRA! as pessoas saíram por se sentirem ameaçadas por integrantes do MTST que gritavam “aqui é b-jota”(bom jardim) “MTST é quem manda!” Alem disso, estavam impedindo o retorno dos manifestantes, agindo eles com militarismo e gritando “se vierem apanham de novo” . Dois manifestantes seguiram ao IJF (incluindo o professor) e um rapaz que foi levado desmaiado…

Comissão de segurança que agrediu inclusive o fotografo Kelvin, que quase perde material de trabalho de uma “voadora” quando ele tentava acalmar o ocorrido, detalhe, kelvin pelo que ouvi dizer ( desculpem-me se eu estiver errado) tmb milita pelo MTST, ou seja que comissão de segurança é essa? que manifestação é essa onde apenas uma bandeira pode ser a porta voz e tomar a frente? Que ato é esse onde a bandeira deles pode ter destaque e a minha não? já que estava-mos todo lutando e nos manifestando contra o mesmo ? Destaco uma parcela de culpa a representante da UNE que com suas palavras excitou a “comissão de segurança” dizendo que ninguém poderia ficar de frente do carro de som.
CADÊ O DISCURSO DE UNIDADE DE VCS? COVARDES!”

********************************************************************************

5- CORDÃO DE ISOLAMENTO, link: http://bit.ly/2hlS50e

“NOTA SOBRE A QUADRILHA DE ONTEM

A concentração estava sendo na praça da gentilandia, um ônibus chegou com uma galera que eu nunca tinha visto.

Quando essa galera começou a rodar pela praça, percebi algo suspeito, a galera que desceu do ônibus ( sem generalizar ) eram uns vetin, e tavam rodando a praça, tipo fitando a galera, e conversando entre eles como se tudo aquilo fosse uma brincadeira.

O ato se iniciou. Depois de um tempo eu fui conversar com o cara responsável pelo carro de som, e pedi pra ele desligar um pouco, pra galera poder puxar os gritos independentes, o cara falou que não e eu deixei queto. Voltei pro bloco e continuei no ato. Quando eu tava no bloco, esses mesmos caras passaram só tirando onda. Depois que nós, estudantes secundaristas e estudantes do adauto que estávamos mascarados ( que nessas circunstâncias, de repressão e delação que vivemos, é necessária como forma de defesa e proteção de identidade ) ficamos Putos com o monopólio e peleguisse que se via presente começamos a passar pra frente do ato. Uma militante da une, de cabelo cacheado, com mechas loiras, começou a falar que quem não estivesse afim de seguir a manifestação do jeito que eles tinham organizado saísse fora, isso ela estava falando com um tom bem forte de indignação, mas nós não demos a mínima e continuamos passando para frente, e começamos a levantar as bandeiras, quando, essa mesma mulher, acionou a comissão de segurança e disse que só quem poderia ficar lá na frente eram eles. Mas nós continuamos e após alguns momentos a glr do MTST partiu pra cima da gnt e começaram a agressão sem piedade, com cabos de ferro e de madeira, um amigo meu saiu desmaiado e outro com a cabeça aberta, com um corte mt grande, e outro só não morreu, porque estudantes mulheres fizeram um cordão em volta dele e também foram agredidas e sofreram até assédio. Depois disso, os caras que nos agrediram, passaram pelo cordão de isolamento e voltaram para o ato como se nada tivesse acontecido, e alguns saíram em bicicletas que apareceram lá por acaso, como se aquilo tudo já fosse planejado. Depois disso a galera do carro de som começou a dizer para prosseguirmos o ato ” que estava lindo ” ” que aquilo era besteira “.

********************************************************************************

6- AGRESSÃO A UMA MULHER, link: http://bit.ly/2gLWZD0

“Sinto em dizer, mas PRA QUE PM SE EXISTE O APOIO AGRESSOR E MACHISTA DO MTST CEARÁ?!

Para os que estão por fora, houve várias violências gratuitas sendo reproduzidas pela “galera da segurança” que “fazia o apoio” na frente do Ato de ontem, à tarde. Estou absurdamente revoltada e triste. Ao ir atrás do nome do meu agressor, a gata-feminista-militante-organizada-preta-periférica-da linha de frente joga a ideia que ele é do Bom Jardim e faz carão. Não aguento. Pois bem, mana, VENHO DA FAVELA DO 15, DOS SEM-TERRA, LA DAS QUEBRADAS DO JARDIM IRACEMA!!

O machinho disse que ia bater na minha cara, mandou eu calar a boca, me agrediu enquanto tentava controlar seu desequilíbrio e agrediu várias pessoas depois. Exalava um ódio tão grande, tão grande… Impossivel de mobiliza-lo, sozinha. Aquela fúria já vi passar aqui na rua, e foi horrível presenciar tudo isso num ato que era para ter sido massa pra todo mundo. Mas não. Dois no hospital e várias feridos. E tudo isso pra quê, por quê?! Vocês vão descobrir nos próximos capítulos… Fascistas! Covardes! Tenham vergonha na cara e tirem suas camisas e bonés perto de mim! Nada justifica as agressões de ontem. Esquerda contraditória, bizarra, que não diáloga e empodera sua base pra mim é mesmo que nada. Nem sei como é que vocês conseguiram dormir de ontem pra hoje, viu, galera.”

********************************************************************************

Você que é do Ceará ou de qualquer outro Estado do Brasil e também sofreu agressões do tipo, nos enviem seus relatos pelo nossa página no Face ou através do email ria@riseup.com.

O fascismo não se discute, se destrói.” – Buenaventura Durruti

This entry was posted in Notícias. Bookmark the permalink.

One Response to MTST: O povo sem medo de bater em anarquistas – Fortaleza 13.12.16

  1. Oliveira says:

    E um grande equivoco achar que anarquismo e esquerda: esquerda e direita sao duas faces da mesma moeda da luta pelo poder politico do Estado e a anarquia e a negacao de hierarquias, portanto, o contrario de tudo isto.
    E impressionante: conhece-se a historia mais do que centenaria das traicoes da esquerda contra @s anarquistas (desde o proprio Marx), e mesmo assim continua-se caindo nas mesmas esparrelas de achar que a esquerda e “companheira” d@s anarquistas…
    Sabi@ e quem aprende com os erros d@s outr@s, sem precisar sentir na pele as
    consequencias dos equivocos ja provados por aqueles que o precederam.
    .

Comments are closed.